RELATÓRIO WWF ANALISA O USO DE DADOS E INFORMAÇÕES CHAVE NAS CADEIAS DO PESCADO

Publicação: 19/05/2020

Traduzimos abaixo o Resumo Executivo do relatório, disponível na integra em aqui (site WWF) .

 

Sumário Executivo

Este relatório fornece uma avaliação do status da coleta eletrônica e relatórios das principais pescarias e informações sobre produtos nas principais nações e regiões pesqueiras. Sistemas Eletrônicos de Informações pesqueiras (EFIS) que permitem a coleta precisa e verificável de dados pesqueiros e o compartilhamento e rastreamento desses. Estes conceitos de dados, desde a coleta, nas pescarias e seu compartilhamento e sequência através da cadeia de valor até o ponto final de venda estão se desenvolvendo lentamente em nível regional, nacional e sistemas globais, tanto em países desenvolvidos e em desenvolvimento, na pesca nacional e internacional.

Um dos principais componentes deste relatório é uma avaliação da situação dos diferentes componentes do EFIS, incluindo: Sistemas Eletrônicos de Rastreamento de Embarcações, Monitoramento Eletrônico, Relatórios eletrônicos (Mapas de Bordo) e Rastreabilidade Eletrônica (ETr) para mais de vinte países e Organizações Regionais de Ordenamento Pesqueiro, cujos peixes e produtos da pesca são importados pela União Européia e pelos Estados Unidos.

Enquanto os sistemas eletrônicos de rastreamento de embarcações têm mostrado rápido crescimento global, o desenvolvimento de sistemas eletrônicos de monitoramento, relatórios eletrônicos e rastreabilidade eletrônica têm sido mais lentos e como consequência, o EFIS, totalmente integrado, continua sendo raro no setor de pesca e frutos do mar. Embora a eficiência seja muitas vezes citada como motivo para adotar estes sistemas, os custos iniciais e fixos para estes sistemas serão elevados e os benefícios podem demorar a aparecer. Há também outras razões para a sua adoção relativamente lenta, incluindo:

- Muitos sistemas e patentes: a proliferação de sistemas com propriedade condiciona o desenvolvimento de sistemas de interoperabilidade e desenvolvimento de normas, protocolos, especificações e diretrizes comuns.

- Diferentes propósitos: os sistemas evoluem a partir de diferentes pontos de partida. Alguns subsistemas foram direcionados para rastreabilidade de frutos do mar ao longo da cadeia de suprimentos, alguns em atendimento à conformidade com a pesca, outros para a pesca (produtividade) e outros para coleta de dados para gestão e pesquisa científica. Muitas vezes, tem havido pouca consideração por todos os usos possíveis dos dados eletrônicos, como eles devem ser coletados e o formato ideal para divulgação e para promover o uso em larga escala.

- Diferentes datas de desenvolvimento, subsistemas criados em diferentes momentos, utilizando diferentes hardwares e software e padrões associados, limitações na capacidade de armazenamento e processamento de dados, isto frequentemente constrangia os desenvolvedores de sistemas anteriores. Muitos sistemas anteriores eventualmente tornam-se obsoletos e não podem ser aproveitados ou compilados nos novos softwares ou em integrações com outros programas, módulos e sistemas.

- Diferentes escalas: os sistemas são geralmente desenvolvidos para pescarias específicas ou cadeias de suprimentos corporativas, com menor frequência como sistemas nacionais abrangentes e raramente como sistemas internacionais. Isto muitas vezes se traduz em sistemas caros e difíceis para o usuário.

- Diversidade da pesca: os sistemas, independentemente do objetivo e da escala, muitas vezes têm que lidar com uma extraordinária diversidade de espécies, frotas, artes, participantes e mercados com diferentes graus de integração, conhecimento tecnológico e recursos.

- Complexidade e sigilo nas cadeias produtivas da indústria de produtos pesqueiros: a complexidade e sigilo dificultam o projeto de uma arquitetura de dados adequada para permitir a interoperabilidade global dos sistemas. Muitas vezes a privacidade e o sigilo são elevados num mercado globalmente competitivo, onde quase todos os produtos do mar têm um substituto, seja selvagem ou de criação.

O relatório faz as seguintes recomendações para fazer avançar o desenvolvimento do Sistema:

1. Promover o conceito de "EFSIS" (Electronic Fishery and Seafood Information Systems) integrado para ajudar a promover a integração e interoperabilidade entre organizações de gestão da pesca e o fornecimento às cadeias de pescados, visando melhorar os benefícios da pesca e do mercado;

2. Apoiar diálogos, fóruns e treinamentos globais sobre o EFSIS, incluindo governança, políticas e procedimentos, alinhamento de princípios, incentivos, financiamento, interoperabilidade e benefícios/custos;

3. Desenvolver estratégias criativas de financiamento e apoio ao mercado para reduzir os custos e riscos de implementação destes Sistemas e

4. Habilitar, apoiar e promover projetos colaborativos da cadeia de valor, através de:

1) pesquisa que revela como as cadeias de suprimento colaborativas formam e utilizam elementos de dados-chave para aumentar os benefícios; e,

2) patrocinando e apoiando os projetos colaborativos da cadeia de valor, incluindo workshops e acompanhamento de programas educacionais ou de capacitação.