WORLD TUNA DAY 2019

Publicação: 02/05/2019

Em 2017, a FAO Organização da ONU para Alimentação e a Agricultura estabeleceu o dia 02 de maio como o Dia Mundial dos Atuns.

Mais de 7 Milhões de toneladas desses peixes são capturadas anualmente, representando mais de 20% do valor total das capturas nas pescarias marinhas. São, portanto, um recurso de enorme importância na Segurança Alimentar e precisam ser gerenciados com todo zelo e atenção. 

Altamente migratórios, habitantes de águas internacionais, têm toda uma gestão dedicada e as regras estabelecidas pelas RFMOs, as Organizações Regionais de Manejo Pesqueiro, voltadas para os Atuns e Afins. Para o Brasil é a ICCAT, Comissão Internacional para a Conservação do Atum Atlântico, com sede em Madri, a Organização a quem devemos nos reportar, signatários que somos da Convenção desde 1969.>

Há pouco mais de 5 anos, o Brasil realmente despertou para a importância desse recurso e seu potencial na geração de emprego e renda, além da excepcional fonte de proteína.

Para usufruir dele e para pleitearmos participação na pescaria, com direito a parte deste recurso e eventual aumento na nossa parcela, precisamos atender às normas estabelecidas, com base na melhor ciência e nas negociações políticas a nível de ICCAT.

Estamos, como em tantos outros assuntos, pecando e nos omitindo destas obrigações, atendendo-as sempre de última hora e sem o rigor necessário para as “tarefas” que nos são demandadas como País Parte.

De 2016 para cá, assumimos uma postura mais proativa e com o cenário que se apresenta, devido a importante reforma institucional e retorno da Secretaria de Aquicultura e Pesca para o Ministério da Agricultura, estamos otimistas e incentivamos o setor a participar e se envolver, na condição de usuários de recursos da biodiversidade, assim como colaboramos e criticamos construtivamente aos gestores e tomadores de decisão quanto a importância de estabelecer instrumentos de monitoramento de frotas, de coleta de informações pesqueiras, de pesquisas e levantamento de estoques, de ecologia e genética de espécies e grupo de espécies, da preservação e monitoramento de habitats, enfim, de promover a Gestão Pesqueira baseada em ciência, ciência isenta, ciência ampla e contínua, que possibilite análises temporais, cruzamento de dados, considerações plurais e participativas.

O Coletivo Nacional da Pesca e Aquicultura – Conepe deseja, portanto, a toda cadeia produtiva envolvida nos Atuns, aos seus processadores, distribuidores, a seus consumidores, aos cientistas e acadêmicos envolvidos com essas espécies, aos gestores públicos e privados, um 2 de maio pleno e alertamos para uma reflexão de todos quanto à importância da adequada gestão, da viabilidade do uso de ferramentas tecnológicas que em muito atenderão a aparentes dificuldades, da necessidade de participação de usuários no custeio e investimentos que viabilizem esta gestão efetiva.

E que os Atuns com sua peculiaridade de recurso internacional altamente migratórios sejam a locomotiva que puxe o pensamento da gestão, com base em ciência para outros tantos e igualmente importantes recursos pesqueiros dos quais somos usuários.

Não se esqueçam, não se omitam, participem da pesquisa de interesse em Cardumes Associados, mesmo aqueles que estão usando esta técnica de pesca sob licença de espinhel de superfície ou linha de mão devem reportar seu interesse. O importante é subsidiar a Secretaria de Aquicultura e Pesca e dar-lhe condições de melhor pensar a alocação dessa frota e suas capturas, de forma a sistematizar e possibilitar o melhor atendimento às tarefas.

(http://www.agricultura.gov.br/noticias/levantamento-sobre-pesca-de-sombra-ou-cardume-associado-para-captura-de-atum-vai-ate-o-dia-6)